sexta-feira, 17 de abril de 2009

Irritando Cícero


Sabe aquelas sextas feiras em que você acorda com a "pá virada"?
Eu acordei hoje com uma vontade de protestar, reclamar de algo. Só me faltava o motivo.
Liguei o chuveiro e procurei algo de errado com a água. Nada. Temperatura e fluxo normais. O sabonete, não tinha pêlos, o cheirinho de erva-doce (será que ainda é uma palavra composta, depois do tal acordo ortográfico?), não me irritou.
A mocinha da padaria ali da 7 de setembro, esquina com a Floriano Peixoto, resolveu ser até mais simpática do que costuma ser. O sabor da empadinha de frango era exatamente o mesmo e o suco resolveu se apresentar bem geladinho...
No ônibus não havia disputa por espaço, algo que realmente me irrita, nem criancinhas chorando, nem vovozinhos mal cheirosos...
As oito da manhã, lá estava eu me conectando à internet pra começar a trabalhar.
Dei uma olhada no Generacion Y ( um blog de uma jornalista cubana, super requisitado e visitado no mundo todo), e então resolvi checar os meus e-mails.
Pronto. Estava diante de algo que realmente me irrita: aqueles e-mails indesejados, daqueles amigos que tem bastante tempo, sabe?
Ah não! Que as pessoas sejam sensíveis eu até admito, mas daí a sair espalhando mensagens do tipo " corrente de oração para 15 amigos", ninguém merece,né?
Tá rolando até uma que diz que se você parar de ler no meio, te trará azar para 7 anos (eles adoram o número 7). Olha, eu não vou ter sorte pelos próximos 70 anos!
Eu tenho uma ex colega de faculdade que manda poesia ( poesia é a pior!). Gente, só vendo pra crer, aquela criatura sai distribuindo tudo que encontra pela internet e que seja, supostamente, assinado por Pablo Neruda, Carlos Drumond de Andr...
Resolvi fazer o que há tempos venho sentindo vontade: respondi com cópia para todos que " NÃO QUERO MAIS RECEBER ESSE TIPO DE MENSAGENS, NAO TENHO TEMPO. ESTUDO, TRABALHO. QUEM REALMENTE É MEU AMIGO NÃO ME MANDE MAIS ESTAS MENSAGENS".
Talvez eu tenha pegado pesado demais, e este post seja algo como que para me redimir. Mas está feito.
Sete anos de azar. Alguém merece?

Nenhum comentário: