terça-feira, 6 de julho de 2010

Almodóvar, a leitura labial e a ética

Nesses dias de Copa do Mundo alguns programas de televisão se utilizaram da leitura labial para decifrar o que jogadores e técnicos falavam em campo - uma prática que já vem sendo utilizada há tempos para deleite dos jornalistas e desespero dos atletas e equipe técnica.

Já estamos tão condicionados a aceitar tudo que a mídia impõe como aceitável, que nem nos questionamos onde os profissionais da comunicação estão abusando dos recursos da tecnologia. Tenho procurado na internet artigos que falem sobre a leitura labial sob a ótica da ética jornalística e encontro pouca coisa. Encontrei um artigo que o site Observatório da Imprensa publicou em 2006, mas essa é uma discussão que já não se faz mais. Simplesmente acatamos como algo que já é rotina no jornalismo desportivo.

Claro, não se trata de limitar ou censurar a imprensa, mas sim de chamar à reflexão sobre até onde podemos ir para "informar" sem causar mal estar, como este que gerou polêmica na Holanda, por exemplo.
Enfim, como esse blog aqui é divertido, reflexivo e experimental, encontrei uma cena de Los Abrazos Rotos, de Almodóvar, em que uma profissional de leitura labial revela o diálogo da esposa com seu amante ao marido traído.

A lição é a seguinte: as paredes tem ouvido e as câmeras quando não tem áudio agora tem leitura labial, portanto cuide o que você fala por aí...


Nenhum comentário: