domingo, 14 de novembro de 2010

A voz dos excluídos

-> resenha do documentário Distorsión Armónica

É fato que os grandes grupos de comunicação têm segmentado o público e ditado a pauta das informações e entretenimento em todo o mundo. Poucos magnatas são proprietários de tudo que nós consumimos em matéria de internet, televisão, cinema, mídia impressa e rádio.
No Brasil não é diferente. Se repararmos nos selos dos jornais, revistas, livros ou nos créditos de filmes, DVDs, etc., veremos que está tudo entrelaçado.
Essa hegemonia toda acaba por excluir um grande número de pessoas que não interessa para essa indústria. Acaba por calar a voz de comunidades com culturas ricas, mas que não fazem parte do eixo capitalista. É uma exclusão natural. Se você não tem dinheiro para comprar as marcas dos anunciantes que patrocinam um determinado programa de televisão, porque esse programa irá se preocupar em falar para você, em defender os seus interesses?
É sobre isso que trata o documentário Distorsión Armónica (Uruguai, Paraguai, Argentina, Chile - 2009). Narrado em formato de depoimentos, conta a trajetória de 12 rádios comunitárias da América do Sul. Além de mostrar como são feitas as transmissões e os tipos de programas produzidos pelas rádios, o documentário narra o contexto social em que elas estão inseridas. No Chile, por exemplo, uma das rádios ajudou a diminuir a violência doméstica a partir do momento que introduziu em seu time de profissionais mulheres da comunidade que haviam passado pelas mesmas condições que as vítimas. Resultou num movimento feminista de denúncia e apoio às desamparadas.
O filme é uma produção da Interconexiones Cono Sur, uma ONG que tem como missão impulsionar e capacitar a radiodifusão independente e comunitária nos países hispanohablantes do sul do continente.
Recomendado para estudantes de comunicação, profissionais do ramo e pessoas em geral que se interessam por sociologia. Pode ser visto ou baixado gratuitamente AQUI. Não encontrei versões legendadas para o português, mas no YouTube há cópias com subtítulos em espanhol, o que facilita bastante o entendimento.
Abaixo a primeira parte. Mira:

Nenhum comentário: