segunda-feira, 11 de abril de 2011

Maurício Kubrusly na Furb - um fiasco de organização

Quem enfrentou a fila para entrar no ginásio da Universidade Regional de Blumenau (FURB) para ver a palestra do jornalista Maurício Kubrusly decepcionou-se.
Além do atraso (marcada para às 19h30min a palestra só iniciou por volta das 20h30min), o que era para ser um Diálogo Universitário tornou-se uma aula prática daquilo que pode ser intitulado: "como fazer um evento fracassado, para estudantes de Comunicação Social e afins".

O constrangimento começou quando o jornalista chamou a atenção de um cinegrafista, pois havia sido combinado que não era permitido filmar a palestra. Como o rapaz montou seu equipamento e a comissão organizadora não o avisou dessa regra?

Kubrusly começou falando sobre como temos que driblar a rotina através da criatividade, porém foi traído pela tecnologia, ou pelo mau uso dela.

A idéia inicial era mostrar matérias que o repórter fez para o quadro 'Me Leva Brasil', do Fantástico e a partir daí, com os exemplos dos personagens mostrados, falar sobre como a vida é melhor quando conseguimos agir de forma inusitada e até divertida. O fato é que ele conseguiu exibir apenas uma reportagem, depois o pessoal que cuidava da técnica ( integrantes do DCE da FURB) enfrentou problemas e não houve mais jeito de mostrar os vídeos.
Visivelmente irritado, o jornalista pediu desculpas e tentou contornar comentando sobre algumas pessoas que conheceu Brasil afora. Repetiu várias vezes que tinha se preparado para mostrar os vídeos e discursar a partir das imagens.

Apesar da simpatia do jornalista, ao final o que era para ser um diálogo sobre como tornar as coisas diferentes transformou-se num constrangimento para todos. Eram 21h00min e grupos de alunos foram deixando o salão, sem a menor cerimônia.

A palestra foi finalizada com perguntas de alguns alunos. Não houve vaias - creio que todos entenderam que a estrutura toda foi mal organizada e a culpa não foi somente do palestrante.



O patrocinador

Organizado pela Souza Cruz (!), o Diálogos Universitários, é um evento que se propõe a trazer até as principais universidades particulares do Brasil grandes oradores para discutir temas de interesse dos estudantes. Entre os palestrantes estão Caco Barcellos, Juca Kfoure, Marcelo Tas e Ricardo Amorin.

Trata-se de uma ação de marketing da empresa para se aproximar do público alvo (nós os jovens); uma forma de prospectar novos clientes, ou - como dizem alguns - apenas trabalhar sua imagem perante à sociedade, já que a legislação brasileira não permite publicidade direta em veículos de massa, seguindo uma tendência mundial.

No evento da Furb, foi exibido um vídeo institucional em que a Souza Cruz mostra as "boas ações que tem feito pela sociedade brasileira". Um apresentador jovem fala sobre os números positivos da empresa. No discurso está o comprometimento da organização com o meio ambiente, os mais de 240 mil empregos indiretos que são gerados pelo fabricante de cigarro no país, as ações junto aos pontos de vendas, que são conscientizados da importância de não vender para menores de 18 anos, etc. Tudo isso de uma forma dinâmica, com projeto gráfico moderno e efeitos arrojados.
Veja esse vídeo:

                     

12 comentários:

Gabriel Desloz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriel Desloz disse...

Não concordo com sua avaliação, creio que em grande parte foi culpa do apresentador, que não veio preparado para apresentação, além de não ter graça nenhuma. Quando a Souza Cruz vai trazer para Blumenau um apresentador do nível do Marcelo Taz?

Anônimo disse...

Descordo de você quando diz que o palestrante era simpático. Decepcionei-me muito com ele, que mostrou ser uma pessoa arrogante. O rapaz que estava filmando, meu colega da faculdade Ibes, tinha permissão para filmar, assim como a equipe da RBS que estava lá, mas o integrante do DCE que informou da proibição esqueceu-se de falar da exceção à regra.
Também achei um fiasco esta edição, por falta de organização e pontualidade, mas fiquei muito mais decepcionada com o palestrante.
A única coisa pela qual valeu ter ido foi o brinde do relógio ecológico movido à agua.
Letícia.

O Foca IBES disse...

Discordo de você quando diz que o palestrante era simpático. Decepcionei-me muito com ele, que mostrou ser uma pessoa arrogante. O rapaz que estava filmando, meu colega da faculdade Ibes, tinha permissão para filmar, assim como a equipe da RBS que estava lá, mas o integrante do DCE que informou da proibição esqueceu-se de falar da exceção à regra.
Também achei um fiasco esta edição, por falta de organização e pontualidade, mas fiquei muito mais decepcionada com o palestrante.
A única coisa pela qual valeu ter ido foi o brinde do relógio ecológico movido à agua.
Letícia.

Helena Marquardt disse...

Minhas impressões sobre a palestra foram muito parecidas com as suas.

Faltou o minímo de organização que se espera em um evento desse porte.

O palestrante até tentou contornar a situação constrangedora em virtude dos equipamentos não funcionarem mas a decepção ficou evidente.

De qualquer forma toda experiência é válida para aprendermos algo. Daqui a pouco seremos nós organizando o Icom e acho que muitos dos "contratempos" que houveram na furb servirão de lição para os acadêmicos do Ibes.

Anônimo disse...

A palestra estava prevista para 20:15! Coffe break começava 19:30! Estava em todos os flyers! E a palestra começou 20;20, com 5 min de atraso!
Estou para conhecer alguém mais simpático que esse kubrusly!!! Hahaha

Anônimo disse...

Discordo! Conheço como funciona o Dialogos. A empresa do som ERA TERCEIRIZADA!!!

Anônimo disse...

Gostei da comida e do brinde!

Cícero Nogueira disse...

Qualquer um que passasse pelo constrangimento que ele passou - de nada funcionar - também se mostraria irritado (como eu disse no post). Imagino que o Kubrusly não esteja acostumado com isso. Apesar de viajar pelos lugares mais insólitos desse país não creio que tenha imaginado que numa universidade no SUL do Brasil teria problemas com um computador...

Aqui, e em outros veículos, estão informações sobre os horários que foram divulgados:

http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/jsc/19,6,3270998,Mauricio-Kubrusly-do-Fantastico-faz-palesta-na-Furb-em-Blumenau.html

João Paulo disse...

O rapaz que foi impedido de filmar fui eu. E fui impedido pelo palestrante, não pela organização do evento. Os membros do DCE disseram que eu e a equipe da RBS estaríamos autorizados a filmar, e o integrante que falou ao público que não era permitido filmar não anunciou dessas excessões, e também falhou.
Claro, a organização foi ruim, principalmente na questão da pontualidade.
Além disso, achei o palestrante arrogante e também um tanto pretencioso. Muito menos o achei simpático. Não é porque ele é um jornalista conhecido nacionalmente que temos que aceitar tudo o que ele diz e faz.

João

Fran disse...

ha ha ha Superrrr simpático o Kubrusly...mas com quem? Só se for com ele mesmo, porque a grosseria e a deselegância com o público e com os organizadores não se explica! Quem constrangeu a todos foi ele, a ponto de o ginásio da Furb se esvaziar rapidamente após seus ataques! Exatamente por conhecer o país todo, ele deveria estar preparado para problemas como esse. Se não sabe palestrar sem usar tecnologia, não sai de casa.
Hum, e porque todo esse ódio contra a Souza Cruz? Faça uma pesquisa, vamos ver quantas pessoas começaram a fumar após participar dos Diálogos Universitários. Porque as empresas politicamente corretas não investem seus fundos em iniciativas como essa? Se você é contra esse "marketing" sútil, não frequente esses encontros promovidos pela Souza Cruz. Aliás, acredito que a empresa pense que jovens universitários, maiores de idade, saibam as consequências de fumar.

Wilson disse...

Pelos comentários creio que não perdi nada. Mas isso e uma situação mais simples que parece ,nem tudo que reluz é ouro .Brilha na tela e decepciona no palco,isso parece se repetir.Não é regra mas acontece.